Pessoas. Paz. Progresso. O Poder das Parcerias

Em 29 de maio, Dia Internacional das Forças de Manutenção da Paz das Nações Unidas, honramos o serviço e o sacrifício das mulheres e dos homens que servem sob a bandeira azul. Celebramos hoje as forças de manutenção da paz das Nações Unidas que arriscam a vida para proteger os mais vulneráveis. Reconhecemos o poder das pessoas e das parcerias na criação de uma paz duradoura.

2 UN peacekeepers on a balcony looking at the horizon

Desde 1948, mais de um milhão de homens e mulheres de 125 países serviram em mais de setenta operações de paz das Nações Unidas. Cerca de 4 200 capacetes azuis perderam a vida, lembrando‑nos de forma dolorosa que a paz nunca é um dado adquirido e que só pode ser alcançada se trabalharmos em conjunto nesse sentido.

A União Europeia defende vigorosamente a cooperação multilateral em prol da paz e da segurança. Juntamente com as Nações Unidas, trabalhamos no sentido de reforçar a segurança internacional e a paz. Defendemos os mesmos princípios e damos prioridade à prevenção e à consolidação da paz, combatendo as causas profundas dos conflitos e das crises.

Em conjunto, os Estados-Membros da UE são o segundo maior contribuinte para o orçamento de manutenção da paz das Nações Unidas. Mas o compromisso da UE vai muito além da dimensão financeira. Com efeito, todas as 18 missões e operações de gestão de crises da UE atualmente em curso cooperam estreitamente com vários membros da família das Nações Unidas; 13 delas partilham o mesmo teatro de operações com uma missão das Nações Unidas e, em alguns casos, até mesmo os acampamentos.

A UE segue uma abordagem integrada em matéria de conflitos e crises, desde a prevenção de conflitos e a consolidação da paz até à resposta a situações de crise e estabilização, cooperando estreitamente com as Nações Unidas: a nível político, a fim de assegurar sinergias entre os bons ofícios da ONU e da UE e a nível operacional a fim de garantir um planeamento e coordenação atempados no terreno. Enquanto intervenientes internacionais, estabelecemos ligações com os contextos locais para construir pontes entre as realidades locais, apoiando intervenientes como mediadores internos e, de um modo mais geral, a infraestrutura de paz mundial.

No ano passado, a UE colaborou estreitamente com as Nações Unidas para rever a cooperação entre as nossas missões e operações e definir um novo conjunto de prioridades ONU-UE viradas para o futuro para o período de 2022-2024. Em janeiro, o Conselho da UE aprovou as novas prioridades no âmbito da parceria estratégica entre a ONU e a UE em matéria de operações de paz e gestão de crises.

Este quadro de parceria renovada reflete os compromissos comuns da UE e das Nações Unidas com a execução da Agenda para as mulheres, a paz e a segurança. O seu âmbito de aplicação foi alargado para responder de forma mais eficaz aos novos desafios e aos fatores de multiplicação de conflitos, como as alterações climáticas e a degradação ambiental, as tecnologias disruptivas e a desinformação. O respeito pelos direitos humanos e pelo direito internacional humanitário continua a ser fundamental, tal como a importância de assegurar a responsabilização através do combate à impunidade.